14 outubro 2008

ESQUIZOFRENIA..

Vou aproveitar este espaço para dar um enfoque diferenciado sobre esta doença que é a que carrega mais estigmas e preconceitos na psiquiatria e psicologia.A visão aqui oferecida tentara escapar as interpretações tradicionais e acadêmicas e vai trazer a visão de um profissional que convive com pessoas com este problema quase que diariamente.Primeiro a esquizofrenia é aquela síndrome que normalmente é chamada de loucura. Pessoas portadoras do quadro agudo vivem fora da realidade, tem importantes alterações do pensamento (chamado delírio) e da afetividade (em surto se mostram distantes, ou muito ansiosos, ou agressivos como é mostrado nos filmes naquele estereotipo do louco assassino).

Quando fora do quadro agudo mostram cicatrizes na sua personalidade, com um incrível distanciamento afetivo, dificuldades importantes de relacionamento e de serem profissionalmente produtivos.

Hoje se sabe que nestes quadros existem anormalidades neuro químicas importantes, embora não se precisem exatamente quais sejam.Outras pesquisas falam em anormalidades anatômicas ou funcionais, mas o fato é que tudo isto ainda são estudos.

O que parece certo é que a pessoa portadora deste quadro já nasce com uma certa pré-disposição a apresentar esta doença.Via de regra, já de crianças se mostram introspectivas, com uma tendência ao isolamento social e apresentando alguns comportamentos classificados como estranhos.Fato é que a incidência desta doença aumenta entre migrantes (dificuldades de adaptação social), em famílias com dificuldades emocionais (pais autoritários, mães inafetivas, violências sexuais, etc).

Ou seja, fatores constitucionais somados a questões emocionais e familiares se somam para que a doença propriamente dita surja.

Mas vamos ao que de fato nos interessa, como funciona a cabeça do portador desta doença.

Como são pessoas introspectivas tem um pensamento exageradamente produtivo e criativo, como já carregam uma dificuldade de relacionamento quando tem contacto com o mundo externo vivem sensações emocionais muito intensas. E desde cedo carregam e desenvolvem um núcleo de pensamento onde se sentem pessoas diferentes, especiais e superiores. Acreditam e são devoradas pela crença que são pessoas especiais, com uma missão especial e que tem algo de diferente para sustentar perante o mundo. Carregar esta carga de ser e se mostrar uma pessoa especial tem um preço, o seu contacto com as pessoas, com o mundo real carrega um nível de ansiedade elevadíssimo. Cada vez que vão se relacionar para coisas cotidianas, se sentem olhadas, avaliadas, medidas e principalmente criticadas. É curioso, mas o esquizofrênico também tem as suas variações de humor, e estas também são muito intensas, como todas as outras emoções. Quando estão em seus estados de euforia, se sentem deslumbrados consigo mesmo e com a sua performance, se sentem adorados e admirados e para competir com eles, neste momento, nem Deus.

Por outro lado, quando estão de mal humor, se sentem acuados, perseguidos, criticados e até odiados (mesmo que não esteja acontecendo nada).Esta excitação psíquica (para cima o para baixo) leva a um quadro de alucinações auditivas (eles ouvem o próprio pensamento que, de tão excitado escapa do controle da vontade da pessoa, e acham que são outras pessoas que estão falando com eles), passam a ter os chamados delírios (alterações do pensamento se separando da realidade) que podem ser de grandeza ou persecutórios.Quando saem deste quadro de excitação psíquica (chamado de quadro produtivo ou surto), não conseguem ser pessoas normais pela marca muito forte que estas fortes impressões deixam em sua personalidade.

Toda esta visão é uma palhinha mínima de como funciona a mente de uma pessoa com esquizofrenia.Hoje existem medicações modernas, que além de acalmarem a excitação psíquica do surto ajudam o paciente a reorganizar a mente e acompanhado de uma boa terapia levar uma vida social e afetiva bastante profícua.Hoje tenho aqui no consultório pacientes portadores desta terrível doença que trabalham, namoram e até se casaram.

Ou seja, vale a pena cuidar...

texto retirado do site: ANSIEDADE





.

2 comentários:

Bem Resolvida disse...

pra mim tudo isso está ligado á problemas espirituais....

o casalqseama* disse...

além de problemas esperituais, é um problema psíquico mesmo (como outros), que devem ser tratados com remédios... não sei o que é mais triste: viver dependente de remédios ou viver sem o controle das ações e emoções!

belo post!

sandrinha...
fiquei muito feliz com tua msg. fiz um pequeno ajuste no selo autenticidade. peço que pegue o outro, que está mais clean agora, e exclua o primeiro.

bjs da fê =D