12 novembro 2008

MY SUICIDE SILENCE

O cérebro humano, é um órgão estranho.
É capaz de ajustar e se adaptar a qualquer coisa.
Quando se é bebê, não se enxerga muito bem, e as coisas estão de ponta-cabeça, porque você acabou de sair de um pacote.
Conforme se vai crescendo, depois de alguns dias ou meses, seu cérebro o "tapeia" para que você acredite que tudo está na posição certa.
Basicamente, a mesma coisa aconteceu comigo.
Meu cérebro me "tapeou" para me fazer pensar que a carga extrema era a única carga que existia.
As coisas eram assim mesmo.
Eu não consigo sentir nada agora.
Meus nervos estão mortos e só consigo sentir extremos.
Na primeira noite que passei, sabendo que enfim não podia ter a mulher da minha vida ao meu lado...
Eu percebi que não podia mais fazer planos para continuar vivendo.
Eu cortava meus braços e torso com lâminas afiadas, mas agora estou conectado no mundo dela. Com relação as facas, eu queria desesperademente sentir alguma coisa, qualquer coisa.
Quando percebi que as lâminas eram afiadas demais para causar dor, eu achei algumas facas enferrujadas, e quando você me amar finalmente, eu vou estar à beira da morte.
Eu não me preocupo com a morte.
Já estou condenada mesmo.
Todos nós estamos.
Acho que só estou vegetando um pouco nessa rocha decadente, antes de tudo acabar.



....

3 comentários:

Olavo disse...

È..a unica certeza que temos é essa..a morte..mas não vou ficar vegetando não rs..já fiquei muito tempo..
beijão

caurosa disse...

Olá Sandrinha, que viagem! O cérebro é o guia consciente do ser. O coração é o senhor de todas as outras coisas,da paixão, do amor, da dor...

Forte abraço

CAUROSA - caurosa.wordpress.com

Anônimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!