25 agosto 2008

Doi? só Qando Respiro..



Somos Todos Ban-que-tes

Antítese

Do pensar

Figura de retórica em que uma palavra
idéia ou proposição contradiz ou se opõe
deliberadamente à anterior

A minha Dor está (a) descoberta
Sou um labirinto de trevas
Rosário de poemas lentos
Electricidade anemica
Sou um labirinto per-pétuo
Paredes rectilíneas percorridas
por cristais translúcidos

Sou uma Cria (da)
- (tua) luxúria

Não me arrependo de colecionar
Desilusões como dilúvios flamejantes

Sou a mais pura carne putrefacta!!!

Será que encontrei a criatura ideal
Amante
- confidente Algoz
- Redendor (?)
Caus-alidades

(Q) Causam É o vínculo que correlaciona
fenômenos diferentes fazendo com que
alguns deles apareçam como condição
da existência de outros a idéia de causa
está associada à da ação de alguém que
cria algo certos acontecimentos são
considerados responsáveis pela
produção de novos acontecimentos
idéias de causa causalidade efeitos

Ad-versos (em) Versos

- EfeitosEsforço de dar sentido aos pensamentos

IN-sanos

IN-constante

IN-Decadencia

Causalidade X reção de causa e efeito
é o vínculo que correlaciona fenômenos
diferentes fazendo com que alguns
deles apareçam como condição
da existência de outros

Na vida cotidiana a idéia de causa
está associada à da ação de
alguém que cria algo

Idéia semelhante é inspirada
pela observação da natureza
certos acontecimentos são
considerados responsáveis
pela produção de novos acontecimentos

São características básicas dessa
relação a anterioridade temporal

A causa precede o efeito

E o vínculo de determinação

O efeito depende da causa

Subjacente ao princípio de causalidade
está a idéia de "condição suficiente"
aquele fato coisa ou situação cuja
existência ou ação basta para produzir
o fenômeno observado“Causar” como
verbo intransitivo.

A tênue fronteira entre o ser e o não ser
Roço-a com minhas medrosas asas
Fragmentos de perdida poesia
A minha poesia em farpas rasga alma

Ácida

Corroendo

Entranhas

Palavras x causar

Pedra que tento lapidarcinzelar moldar
Dura bruta Etérea escapaNão se deixa
Quero toda a tua fome

In-com-fes-sa

Sus-sur-ra-da

An-cestral

Quero o teu peito fora de compasso
tua respiração em lapso colapso dos teus sentidos
Quero prender-me no claustro do teu abraço

P erder-me

E (me) encontrar no Rastro dos teus passos

Enrredar–me na trama dos teus desejos desnudados

Meus olhos Reflexos do Q-causam os Teus Anjo da guarda
– carcereiro“Sou assim simplesmente confusa

"como já disse uma pintora que fez de sua vida
uma obra surreal com pinceladas de dor algumas de
lágrimas e muitas cicatrizes em alto relevo”



..........................


2 comentários:

Layla Lauar disse...

Garota, estou impressionada com os versos que você posta, suas letras doem, ferem como aço de navalha, talvez por transmitirem verdade, talvez apenas por serem belas demais...

beijo..que toda esta dor expressa, seja somente a musa dos seus poemas.

Anônimo disse...

necessario verificar:)