17 agosto 2008

E..ELA..PULOU...


ela estava impaciente..
ora liga o radio..
ora liga a tv
anda de um lado pro outro...
impaciente..anda em círculos
pensa...pensa..pensa...
saudades...como dói...
o que fazer pra acalmar
[?]
ela não sabe...
rodopia..rodopia...
telefone não toca!
vai até a janela..
o vento sopra em seu rosto...
um pensamento não
sai de sua cabeça...
se jogar ou não
[?]
anjos caem...
e se tornam mortais...
por ser uma mortal..
se jogar vira uma imortal...
imortalidade....
o espaço e o tempo
não existe mais...
ela vai se jogar...
afinal não e anjo..
vai se tornar um...
um anjo caído...
pra chegar a imortalidade...
criará asas....
chegará ao infinito...
ao espaço...
sem o tempo...
só o espaço
será que é assim
[?]
ela acha que é..
ela vai se jogar...
verá tudo do alto..
poderá ir pra onde quiser..
afinal tem todo
o espaço
o tempo...
o infinito...
suas asas batem..
alçam o vôo
pleno..
completo...
lindo...
[e ela pulou...]
............

2 comentários:

Gata Borralheira disse...

Gostei do seu blog... Um tanto quanto triste ele... Talvez por isso eu tenha gostado...

Dorian Cortes disse...

Saudações...

Pulou como havia de pular...
pulou e talvez voou...
belo poema...

um abraço.